Sum 41 está pronto para o seu grande retorno

O site da FORBES divulgou uma entrevista feita com Deryck no começo de Outubro sobre o grande retorno do Sum 41:

Em 2014, Whibley, apenas com 34 na época, foi hospitalizado com insuficiência renal e hepática e colocado em coma induzido, todos provocados pelos anos de abuso de álcool. Agora  o Sum 41 estão em grande posição para um retorno bem sucedido. Para Whibley, a carta do sucesso é, compreensivelmente, secundário depois de chegar tão perto da morte e não saber se ele voltaria a andar por um ano. “As pessoas me perguntam: Deve ser o seu melhor álbum né?, eu não sei , isso não é realmente eu que tenho que decidir. Tudo o que sei é que eu estou bem com isso. Para mim, é ótimo, eu adoro isso.”

Estimulado pela forte resposta do público e sua própria excitação sobre o novo material, Whibley já está olhando para a frente e mal pode esperar para tocar ao vivo.

“Sim, há uma canção chamada 13 Voices, que é muito divertida, agressiva, uma música que eu acho que vai ser muito legal tocar ao vivo. Estamos ensaiando, e realmente parece muito bom, por isso estou animado com isso”, diz ele. “Há uma música chamada Breaking The Chains, que eu acho que é muito legal também. A Goddamn, I’m Dead Again, eu acho que vai ser divertida, ela é rápida. Estou animado com todo o registro na verdade.”

Como quase todos os artistas na música, cuja música favorita é a última que escreveu, Whibley também está muito empolgado para tocar as faixas de 13 Vozes. Para ele, quando ele ouve coisas antigas, como Chuck, ele é associado com os tempos mais loucos em sua vida.

“Eu tenho boas e más memórias de cada registro, mas esse álbum há muita escuridão acontecendo, era mais sobre assuntos de negócios”, diz ele. “Nosso gerente, que também foi o nosso produtor na época, foi horrível. Ele produziu esse registro, mas ele era tão mentalmente abusivo enquanto estávamos gravando, eu lembro de ter feito os vocais e ele me falava de como  eu era um terrível cantor. Demitimos ele depois disso.”

Escrito durante sua recuperação, 13 Voices obviamente se concentra na difícil recuperação de Whibley, algo que faz com que seja difícil para ele rever o material. “Eu não ouvi todo este álbum desde que terminamos ele em janeiro ou fevereiro”, diz ele. “Nós imediatamente saímos em turnê e eu meio que parei de ouvir ele, mas o registro é definitivamente tudo sobre toda a minha viagem de queda e ascensão. Então, eu tenho certeza que se eu ouvi-lo agora provavelmente me atingirá de uma maneira em que eu me lembrarei de um monte de coisas.”

Este álbum marcou como sendo o primeiro que Whibley escreveu sóbrio, que foi reconhecidamente assustador para ele, às vezes, isso o fez muito mais vulnerável. Mas não é apenas a sua própria música que mudou para ele agora que ele está sóbrio. Ele ouve a música do outras pessoas em uma nova luz, como a música do Aerosmith “Amazing”.

“Eu sempre achei que era sobre o amor e, de repente, quando eu estava em recuperação eu percebi que era uma canção de recuperação”, diz ele. “Pensei que era sobre um relacionamento ou algo assim e então eu pensei, Oh meu Deus. Claro que Steven Tyler tem estado em recuperação e tudo fez sentido de uma maneira diferente.”

Isso é uma espécie de mantra agora para Whibley, que vê tudo de forma diferente do que ele fez antes. Por toda a dor que ele passou, porém, ele não se arrepende. “Estou tão feliz que eu fiz tudo isso”, diz ele. “Mesmo sendo realmente difícil, escuro e negativo foi realmente positivo e otimista.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: